Biodiesel

Uma mistura de óleo vegetal e álcool anidro capaz de reduzir a presença de gases poluentes no meio ambiente, gerar renda e trazer desenvolvimento econômico. Essa é o cenário do biodiesel no Brasil, cada vez mais competitivo diante da inevitável escassez futura de combustíveis fósseis e das ações sistemáticas de combate ao aquecimento global.

Para quem deseja aproveitar o momento e investir nesse mercado promissor, a Ecirtec oferece diversos equipamentos e desenvolve projetos para produção de biodiesel a partir de diversas matérias-primas, sempre de acordo com as especificações da ANP (Agência Nacional do Petróleo).

Biodiesel

A produção de biodiesel é a partir de óleo ou gordura disponível. Adotando que temos disponível uma determinada semente oleaginosa, os seguintes processos:

  1. Extração do óleo: A semente oleaginosa será devidamente preparada e prensada para extrair o óleo. Em grande escala a extração é feita por solvente. A torta (parte sólida) resultante da prensagem será tratada e poderá ser usada como fertilizante ração animal e até mesmo alimentação humana. A aplicação da torta será de acordo com a qualidade e tipo da matéria prima e das condições operacionais que forem adotadas na extração. O óleo obtido segue para a etapa seguinte;

  2. Tratamento do óleo: Dependendo da qualidade do óleo obtido na etapa anterior (ou proveniente de terceiros e/ou de reciclagem), teremos um ou mais dos seguintes processos: filtração, degomagem, neutralização, secagem e winterização. Neste ponto teremos óleo limpo, sem gomas, sem acidez, sem ceras e seco para ser enviado à seção de produção do biodiesel por transesterificação.

  3. Transesterificação: Nesse processo, o óleo é misturado com álcool (etanol ou metanol) em um tanque com agitação mecânica, na presença de um catalisador. A reação dá origem ao biodiesel e à glicerina, substância presente em 20% do óleo vegetal.

  4. Separação: Com equipamentos específicos (decantadores ou centrifugas) a glicerina é separada do biodiesel. Neste ponto temos teremos biodiesel e glicerina ainda com a presença de álcool. Por meio de evaporadores, condensadores, sistemas de lavagem e secagem o biodiesel será purificado. A glicerina já sem álcool poderá ser vendida bruta ou passar por uma purificação especifica e ser utilizada na indústria.

Unidade composta por: Reator com capacidade nominal de 200 litros por carga, construído em chapa de aço carbono; Estrutura de sustentação construída em aço carbono com pintura em epóxi; Condensador construção cilindrica vertical em aço carbono, tipo casco e tubo, com tubos de aço inoxidável AISI 304; Tanque coletor de condensado localizado na parte inferior do equipamento; Conjunto de resfriamento e circulação de água no condensador composto por torre de resfriamento com ventilador e bomba centrifuga; Bomba de vácuo tipo paletas rotativas; Trocador de calor construído em chapas de aço carbono, com aquecimento por meio de resistência elétrica tipo feixe tubular em aço inoxidável; Bomba para alimentação e descarga do produto no reator, tipo centrifuga construída em aço inoxidável. Trocador de calor formado por corpo cilindrico construido em chapas de aço carbono, tipo casco e tubo, destinado ao resfriamento do biodiesel; Filtro tipo cartucho construído em aço inoxidável; Lote de tubos, válvulas e acessórios de interligação mecânica dos aparelhos acima descritos. Painel de força e comando para os motores dos equipamentos acima descritos, com chave de partida direta automática, e para o agitador do reator com inversor de freqüência para ajuste de velocidade.

Características Técnicas

UPB-200

Reator com capacidade nominal de 200 litros por carga.